top of page

TESTE DE CONDIÇÃO FÍSICA

Atualizado: 7 de fev. de 2022


Enumeres estudos foram realizados indicando o Lactato (conjuntamente com a frequência cardíaca e Velocidade) como um bom indicador da condição física dos cavalos. O Lactato é gerado por meio de varias fontes identificáveis ​​e podem ser medido através de testes diretos e portáteis. As informações obtidas podem ser úteis para indicar no nosso caso, os níveis de treino do cavalo, permitindo estabelecer um programa de treino, controlando a sua evolução e estabelecendo metas atingir.

LACTATO
"... é um composto orgânico produzido pelo corpo e utilizado como fonte de energia para todas as atividades… é encontrado nos músculos, no sangue, e em vários órgãos. O LACTATO é necessário para que o corpo funcione corretamente."

A principal fonte de produção de LACTATO é a quebra de Carboidratos chamados de Glicogénio, que prove o surgimento de uma substância chamada Piruvato (produção de energia). Este processo é referido como energia Anaeróbia (não utiliza Oxigénio). Quebras superiores de Piruvato produz mais energia ainda e é chamada de energia Aeróbica (utiliza Oxigénio). Quando não existe quebra do Piruvato, normalmente este é transformado em LACTATO.

Na produção do Piruvato, as células musculares tentam utilizar como energia Aeróbia. Mas, as células não são capazes de utilizar todo o Piruvato produzido, surgindo uma transformação química em LACTATO.

Nem todas as células possuem grande capacidade de utilização do Piruvato para energia Aeróbia, mas com o treino, as células musculares adaptam-se a uma maior utilização de Piruvato e menor produção de LACTATO.

Aumentado a intensidade do treino, aumenta a produção de Piruvato de forma rápida, transformando-se em LACTATO. Quando LACTATO é produzido, isto é uma indicação de que a energia Aeróbica está sendo limitada durante a atividade. Sendo um dos motivos de o LACTATO ser um importante indicador para o treino.

Por meios dos valores do LACTATO ao longo da época desportiva, permite observar se existe uma melhor condição física do cavalo.

COMO MEDIR O LACTATO

Por meio de amostras sanguíneas, visto que existe relação entre o LACTATO muscular e o LACTATO sanguíneo. Quando uma amostra de sangue é utilizada, a quantidade de LACTATO no sangue é expressada como uma concentração de milimols por litro. Os níveis de LACTATO variam de raça para raça e de modalidade para modalidade equestre, variando geralmente entre 1.0 mmol/l a 25.0 mmol/l.

FREQUÊNCIA CARDÍACA (FC)

"é a velocidade do ciclo cardíaco medida pelo número de contrações do coração por minuto (bpm). Ela pode variar de acordo com as necessidades físicas do organismo. Pode ser alterada por exercícios físicos, stress e doença."

A avaliação clínica da função cardíaca ganha cada vez mais importância na avaliação do estado de treinamento e bem-estar na indústria equinos e hoje se baseia principalmente em dispositivos portáteis.

CAVALOS = Coração de grandes dimensões = elevada capacidade cardíaca!

  • FC em repouso (FCR) de um cavalo depende fundamentalmente do grau de relaxamento do animal, sendo geralmente de 20 a 40 bpm. Sugere-se que a FCR é mais baixa nos animais com maior capacidade atlética, embora não diminua com o treino, como nos humanos.

  • FC em inicio de atividade (FCIA), eleva-se rapidamente, atingindo um patamar após 2 a 3 minutos (em resposta à libertação de catecolaminas). O tempo que um cavalo demora a atingir a FC máxima é menor se houver um bom aquecimento.

  • A relação entre a FC em submáximo (FCSM) e a intensidade do exercício é linear e direta para uma FC entre 120 e 210 bpm. O tempo que demora a instalar-se a fadiga é inversamente proporcional à intensidade do exercício. Nos valores mais elevados de FC (210-240 bpm) perde-se a relação linear entre a intensidade do exercício e a FC.

  • A FC máxima (FCM) não varia muito com o treino, embora o consumo de O2 aumente significativamente.

  • Recuperação da FC após o exercício, normalmente a FC baixa abruptamente no 1º minuto, descendo depois gradualmente até à FCR. É desejável que o cavalo desça aos 60 bpm nos primeiros 30 minutos após o exercício.


VELOCIDADE (Vel)

"Na física, velocidade relaciona a variação da posição no espaço em relação ao tempo, ou seja, qual a distância percorrida por um corpo num determinado intervalo temporal. É uma grandeza vetorial, possuindo direção, sentido e módulo, esse último chamado de rapidez e de dimensões [L][T]-1, sendo medida no SI em metros por segundo (m/s)…"


Estudar Lactato e a relação com FC e Vel, permite relatar o estado físico do cavalo atleta em campo e ver a sua evolução ou perda de condição, perante um treino pré-estabelecido e ao longo da época desportiva.


 

Teste de esforço para o Limiar de Lactato (LL), Frequência Cardíaca (FC) e Velocidade (Vel), 2014

Por: Faria, R; Feringer, W. e Ferraz, G.


RESUMO: Estudos científicos que visam criar protocolos de condicionamento físico de cavalos tem sido cada vez mais publicados e com resultados positivos, de entre as variáveis mais utilizadas estão a Frequência Cardíaca, Velocidade e o Lactato, que podem ser alterados por meio de testes padronizados, através de um Teste de Esforço podemos determinar o Limiar de Lactato (LL),que é definido como o ponto em que o Lactato começa acumular-se substancialmente em relação aos valores de menor esforço, sendo considerado hoje em dia o (LL) como um dos bons indicadores de condição física do cavalo atleta. O estudo realizado visou encontrar o LL em três cavalos inscritos no Stud-Book da raça Brasileiro de Hipismo. Durante todo o teste de esforço foi registada a Frequência Cardíaca, velocidade e o relacionamento possível com o Limiar de Lactato (LL), bem como a Glicose e suas alterações durante o teste. Amostras de sangue e resultados por frequencímetro cardíaco e GPS foram registados nos três animais para compreender a sua condição física, nesse momento era considerada pelo treinador como razoável, embora diferente entre os animais. Dados para o teste de esforço, indicaram Lactato mínimo de 0,479 mm e um máximo de 4,051 mm. Valores após o aquecimento para FC apresentou mínimos de 115, 101 e 135 bpm e máximos de 207, 195 e 183 bpm para os animais A, B e C respectivamente. A Glicose apresentou insignificante alteração durante o teste de esforço com uma oscilação máxima em um animal de 0,72 tendo a mesma diminuído com o desenrolar do teste, em todos os animais.



MATERIAL e MÉTODOS

  • Foram utilizados 3 equinos inscritos no SB do cavalo BH e que praticam a modalidade de saltos, sendo que a sua condição física é diferente nos três animais, o teste foi realizado dia 2 de Junho entre as 15h e as 18h, no seguimento do teste os cavalos em estudo seguiram rigorosamente um programa de treino delineado previamente. O estudo foi realizado em dois cavalos BH e um Holsteiner denominados no estudo como EQBHC1 um BH de origem alemã ; EQBHB2 um BH de origem Francesa; EQHC3 o Holsteiner nascido na Alemanha. Em um haras no interior de SP, foram realizado um Teste de Esforço, com a duração total do esforço de vinte (20) minutos em cada animal. Foi dividido este tempo por 6 momentos e velocidades diferentes de esforço, sendo: T1 antes do treino; sem tempo 5` de Aquecimento; T2 para 3` a velocidade de 12 – 15 km/h;T3 para 3` a velocidade de 20 – 22 km/h;T4 para 3` a velocidade de 25 – 27 km/h;T5 para 3` a velocidade de 30 – 32 km/h;T6 para 3` a velocidade de 35 km/h, foi feito um intervalo em cada mudança de velocidade para retirar sangue e poder ser encontrado os resultados para o Lactato, colocou-se uma manta especial em detrimento da manta convencional, mas ambas com base igual, onde a mesma inclui, um Frequencímetro Cardíaco, o GPS, é em um formato de relógio seguira no pulso do cavaleiro, registrando todos os dados que serão a posterior transferidos para um computador, organizados e avaliados, com resultados para a FC e Vel. Foi utilizado lactímetro de bancada (YSI 2300 YSI Incorporated, EUA) para resultados de Lactalo, sendo que o mesmo indicava tambem resultado para Glicose e o aparelho GARMIN 310 para Velocidades e Frequências Cardíacas.


RESULTADOS

A duração dos Testes foi de três horas das 15:00 horas as 18:00 horas com uma hora por cavalo, incluído aparelhar e duche no fim do teste em cada animal, com temperatura média de 24 ° durante os testes. Tipo de piso em terra fina de qualidade excelente. Os resultados para Lactato (Tabela.1 e Grafico.1) a quando do T1 com os animais estavam parados foi para EQBHC1 > 0,635 ; EQBHB2 > 0,537 ; EQHC3 > 0,582, sendo muito próximos todos os 3 animais, após o aquecimento e o T2 os resultados para o Lactato foram de menor valor, 0,337 ; 0,479 e 0,397 respectivamente.







 





114 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page